7 de Outubro de 2014

Ler é crescer – Diário de Bordo (06/08/2014-30/09/2014)

Posted in Projeto Ler é crescer às 19:23 por sidneif

Projeto Ler é Crescer*

Escola de Ensino Médio Vereador Oscar Manoel da Conceição

carrinholivroAlém da aplicação do questionário do projeto Ler  é crescer, a visita às salas de aula incluía uma conversa sobre livros didáticos disponíveis na biblioteca.

Todas as turmas, em suas salas, dispõem de um armário que abriga os livros de uso diário. Entretanto, a escola oferece outros didáticos que podem ser levados para estudar em casa.  Como ainda havia muito exemplares disponíveis para uso doméstico, era preciso estimular os alunos a  reivindicá-los.

E estímulo não faltou com a presença de um carrinho de  compras (gentileza de um supermercado da região) devidamente paramentado e carregado de livros  a circular pelas salas de aula.

Idealizado pela educadora  e parceira do projeto Suely Araripe,  o carrinho-livro mexeu com a imaginação da garotada. Entre perplexidade, curiosidade e descontração, muitos livros “perdidos” na biblioteca foram resgatados pelos alunos.

A inspiração de Suely Araripe é o signo  da força da parceria.  O projeto Ler é crescer é forte exatamente por causa da interação entre pessoas dispostas a fazer a diferença.  Como é  o caso da voluntária Maria Helena. Mãe de alunas do colégio, ela recebeu dos alunos a carinhosa alcunha de mãe da biblioteca, tanto é a sua dedicação a esse espaço da escola.

Agregar pessoas da envergadura da mãe da biblioteca, verdadeiros heróis da resistência (e da resiliência), é uma prazerosa – e nada fácil missão que este blogueiro se impõe a todo instante. A grande arma: dialogar com todos os afetados pelo projeto e com aqueles interessados em se envolver com ele. Falar com alunos, professores, comunidade e simpatizantes sem medo de ouvir sugestões e retaliações. São experiências com as quais aprendemos, o projeto cresce .  Um bom exemplo é o contato com os professores. Alguns receberam com desconforto o Ler é Crescer, outros abraçaram-no com enorme expectativa, mas ninguém sentenciou o projeto ao ostracismo e nem o pôs no índex. De resto, o tempo de convívio e  a seriedade do trabalho esvanecerão qualquer possível suspeição do corpo docente.

A força do diálogo já traz parcerias  além das fronteiras da escola. Não só do supracitado apoio do supermercado. A professora Cristiane Ker de Melo,  do curso de Educação Física da Universidade Federal de Santa Catarina, e os seus alunos são os mais novos envolvidos com o projeto .  supervisionados pela docente, os acadêmicos  das   disciplinas Jogos e Brinquedos da Cultura Popular & Fundamentos Teórico-Metodológicos do Lazer farão ações – sempre com  a participação dos alunos – para revitalizar o espaço de leitura  da biblioteca . Entre as quais, o tradicional conjunto mesa e cadeira dará espaço a almofadas, pufes,  mobílias e  cenários (todos feitos de material reciclado) que tornarão o local mais confortável e atraente para os alunos – é o ponto de partida para a interação do lúdico com as atividades culturais.

alunoscris3

Professora Cristiane Ker ( da direita para a esquerda, de blusa branca, a primeira em pé) e os alunos do curso de Educação Física (UFSC).

Haverá novos apoiadores do Ler é Crescer. A motivação para encontrá-los revigora-se a cada vitória do projeto, é  potencializada por meio de cada resposta dos alunos às perguntas do questionário aplicado.  É claro, nem todo mundo se revelou um  adepto da leitura. Mas não faltaram sugestões como indicação de obras, filmes, criação do Clube do Livro, realização de saraus e uma súplica muito justa e freqüente no questionário – biblioteca sempre aberta. E como cereja do bolo, ao responderam a última questão, a qual lhes propunha  soltar a imaginação para escrever, os alunos esbanjaram  ironia,  sensibilidade e personalidade. Por meio de citações ou de idéias originais, mesmo em guerra com a língua portuguesa,  a garotada exalava  o frescor da liberdade de expressão (abaixo estão alguns exemplos).  Trata-se daquela experiência que nos traz a esperança rediviva de um mundo mais digno.

FelipeB112

Felipe Brexghella (1° ano)

LaraMenezes123

Lara Menezes (1° ano).

Leonardocs110

Leonardo Camargo da Silva (1° ano).

Gustavo R. da Costa (1° ano).

Gustavo R. da Costa (1° ano).

Bianca Duarte (3° ano).

Bianca Duarte (3° ano).

Andressa Fernanda (3° ano).

Andressa Fernanda (3° ano).

Hariel Oberdan (2° ano).

Hariel Oberdan (2° ano).

Eduarda Vilma nascimento (2° ano).

Eduarda Vilma nascimento (2° ano).

 
*O projeto visa a intensificar o envolvimento dos alunos desta escola com a leitura, para que eles usufruam amplamente benefícios tais como aumento de vocabulário, qualidade de escrita, maior capacidade de argumentação e de expressão, senso crítico, criatividade, crescimento pessoal e profissional. O Plano de ação do Ler é Crescer abarca a elaboração de um questionário para montagem de um banco de dados para avaliações e tomadas de decisões de atividades, organização da biblioteca, criação do jornal e do blog da escola ( ambos com participação direta dos alunos), disponibilização do blog Tabacaria  para divulgar e desenvolver trabalhos e eventos dos alunos, sessão de narração de histórias, encontro com escritores, profissionais de diversas áreas, semana de poesia, do autor ou de algum outro tema, concursos de poesia e prosa, organização de espaços para leitura. O blog Tabacaria publica o diário de bordo do Ler é Crescer.
Anúncios

21 de Agosto de 2014

Ler é Crescer – Diário de Bordo (05/08/2014)

Posted in Projeto Ler é crescer às 19:32 por sidneif

Projeto Ler é Crescer*

Escola de Ensino Médio Vereador Oscar Manoel da Conceição

diariodebordo2diariodebordo1

 

diariodebordo3

Lindo dia de inverno em Florianópolis (SC). O sol em traje de gala parecia prever as boas novas que estavam por vir.

Falar da importância da leitura e aplicar um questionário para saber o que os alunos pensam do tema. Era o começo do projeto “Ler é Crescer” na escola pública estadual localizada no aconchegante Rio Tavares (bairro do sul da Ilha de Santa Catarina).

Este blogueiro flertava com a ansiedade ao entrar na escola cheio de perguntas. Como reagiriam inúmeros adolescentes diante de um desconhecido que lhes faria apologia das vantagens e da beleza da leitura? Haveria jeito fácil de convencê-los? Intimidaria-me com o ímpeto de garotos e garotas na flor da idade?

Respostas não surgiam e a resolução era adentrar a sala, (tentar) abandonar as hesitações do lado de fora e deixar o coração defender a bandeira da leitura.

Mas adolescentes são humanos. E humanos são apaixonantes quando nos livramos da hipocrisia e expomos sem restrição a emoção que sentimos. Isso me ficava claro já na primeira sala visitada – senti-me nas nuvens quando uma portadora de síndrome de down, ao afirmar seu interesse pela leitura, ergueu confiante o seu livro “A Menina que Roubava Livros” (Markus Zusak). O espontâneo ato da aluna poderia ser o presságio de que a paixão pela leitura me levaria para mais próximo de pessoas tão especiais.

A minha alegria aumentou exponencialmente ao descobrir o aluno que estava a escrever um livro, a aluna que já o fez e pedia-me para ajudá-la a contatar uma editora, o menino das poesias e crônicas, outras meninas que também seguem a toada da escrita. O rapaz que cantou um rap baseado na sua vida cotidiana (e que gosta de idéias originais) também cativa. Saio das salas com promessas de receber mensagens (e até um conto) dos alunos. Não poderia sair de lá mais feliz.

Claro que a chegada de um desconhecido a defender a leitura causou curiosidade, estranheza, alguma dificuldade para levar a sério, sobretudo naqueles alunos pretensamente avessos à leitura (este blogueiro é contumaz em dizer que, em algum momento, gostamos de ler). Mesmo assim, nos seus semblantes, há sinais de que sabem da importância da leitura.

Terminei o dia certo de que o projeto vingaria e transformaria a vida de muitos jovens da escola. Absolutamente certo era também que eu não era agora o mesmo que entrara de manhã na escola. Os alunos cheios de adrenalina renovaram-me a fé  nas boas coisas que a vida pode oferecer, na capacidade humana de cativar.

*O projeto visa a intensificar o envolvimento dos alunos desta escola com a leitura, para que eles usufruam amplamente benefícios tais como aumento de vocabulário, qualidade de escrita, maior capacidade de argumentação e de expressão, senso crítico, criatividade, crescimento pessoal e profissional. O Plano de ação do Ler é Crescer abarca a elaboração de um questionário para montagem de um banco de dados para avaliações e tomadas de decisões de atividades, organização da biblioteca, criação do jornal e do blog da escola ( ambos com participação direta dos alunos), disponibilização do blog Tabacaria  para divulgar e desenvolver trabalhos e eventos dos alunos, sessão de narração de histórias, encontro com escritores, profissionais de diversas áreas, semana de poesia, do autor ou de algum outro tema, concursos de poesia e prosa, organização de espaços para leitura. A partir de hoje, o blog Tabacaria publica o diário de bordo do Ler é Crescer.