6 de Setembro de 2018

O que a memória ama fica eterno

Posted in Ler faz crescer às 16:31 por sidneif

Por ALESSANDRA BARCELAR*

1971-10

“Beatrice” (1896), de Marie Spartali Stillman ( 1844–1927)

Geralmente, quando a pergunta é sobre livros marcantes em minha vida, costumo evocar a mais antiga memória ou o que tenho dela.

O Inicio é algo gravado e começa, acredito eu, com 7 ou 8 anos, quando descobri Coração de Vidro, de José Mauro de  Vasconcelos, não que antes nunca havia visto uma fábula ou história, mas o mergulho, a viagem e a inquietação, com certeza, aconteceram com esse livro.

Não sei ao certo se isso ocorreu por o ambiente ser narrado em uma fazenda ou pela realidade crua. Mas o tom melancólico dos contos me inquietaram, foi a primeira vez que chorei, ali percebi qual era realmente a função da leitura, através da percepção da natureza humana.  Lembrei-me de um amigo que citou uma frase de Rubem Alves ao falar desse livro: “ Aquilo que está escrito no coração não necessita de agendas porque a gente não esquece. O que a memória ama fica eterno”.

Outro livro que me marcou profundamente, até pela precoce leitura, foi  Exodus, de Leon Uris, digo precoce porque ele me chegou quando ainda era muito jovem, 13 ou 14 anos. É um livro de quase 900 páginas, na época que li eram divididos em 3 volumes, porém não recordo editora. A importância de Exodus para mim foi por ser meu primeiro livro histórico.  O  livro conta a formação do Estado de Israel, e a capacidade de Uris contar histórias fez da obra algo inesquecível para mim. Foi através desse livro que comecei entender a necessidade de recorrer a outros recursos para compreender uma história e me localizar no tempo e espaço da narrativa. E, de modo consequente, o livro foi o “embrião” para a escolha acadêmica anos depois.

Claro que depois disso, vieram muitos, vários outros livros excelentes, necessários, importantes, já que procuro estar sempre envolvida em trabalhos com leituras, mas esses dois realmente foram um marco, o primeiro pela descoberta do poder da leitura e o segundo pela identidade.

11160672_1079890318693756_2536729381978102914_n*Alessandra Barcelar é Historiadora, vive em São Paulo, onde nasceu, e atua na área de Gestão Hospitalar e Economia da Saúde. Publicou em algumas revistas literárias do Brasil e Portugal . Colaborou com a “Antologia Mitos Modernos I”, a qual foi premiada com o Prêmio Le Blanc de Arte Sequencial, Animação e Literatura Fantástica , livro esse com previsão de lançamento em 2018. 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: