6 de Julho de 2018

Os livros

Posted in Ler faz crescer às 14:20 por sidneif

Por LUNNA GUEDES* 

1935-45

“The Library” (1905), de Elizabeth Shippen Green (1871–1954)

Os livros me deram a oportunidade de habitar outras paisagens, viver em outros corpos, provar de outras vidas. Ser outra e ninguém. Tudo e nada. Eu sempre fui uma pessoa encolhida, para dentro. Nunca fui tímida… apenas não apreciava presenças. Fui forjada em ausências e nostalgias. Uma criança que prefere espiar a realidade, a participar dela e diagnosticada muito cedo como portadora de algum transtorno por gostar dos cantos, o quarto escuro, as portas fechadas.

Os livros eram um lugar seguro… onde me refugiar. Onde tudo e nada sempre era possível. Eu passava horas inteiras a bordo das ficções que começavam nas páginas e me contagiavam como um vírus que se espalha pela superfície do corpo.

Sou o tipo de leitora que se apodera do objeto livro… primeiro pelo tato. Sinto-o na ponta dos dedos. Provo da textura. E aos poucos o vou invadindo… sentindo o cheiro do papel, o calor das cores… então o agarro. Grudo no peito, fecho os olhos e imagino esse envolver-se prolongado. Eu me misturo de tal maneira a ele… que dou palpites na trama, ralho com personagens. Anoto nas margens, marco o melhor e também o pior. Vou e volto inúmeras vezes. Há exemplares que são casos de amor. Há os mais antigos e também os recém-chegados.

E, depois de tantos livros dos outros… resolvi escrever os meus.. E sei, com certeza, que misturei muito do que provei nesses anos todos… de leitura. Sinto que neles há mais de mim do que eu realmente gostaria.

Cada personagem-história sou eu a viver além da ficção… do real, como sempre foi desde a infância até a fase adulta. Algo em mim escapa e fica ali, deitado em páginas a viver mil vezes a mesma vida, que é outra e também é minha.

*Lunna Guedes, escritora (http://www.catarinavoltouaescrever.worpress.com/), editora, artesã de livros (http://www.scenariumplural.worpress.com/).

Anúncios

3 comentários »

  1. Tem razão. Livros são o meu prolongamento; sem livros não seria o que sou. Um abraço da Mariluz.

  2. É assim mesmo, a gente mora neles e quer continuar tanto, que acaba virando criador-personagem! 😉

  3. Lunna Guedes e uma escritora-pessoa de raríssima sensibilidade, capaz de traduzir certos personagens da vida por total empatia. Como sempre, impecável texto.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: